segunda-feira, 31 de março de 2008

Viagens


Esta bela foto é do blog Espiritu Vespa. O seu autor é um vespista ("vespero") Espanhol, que se dedicou a viajar por Castela no inverno passado, cobrindo em nove dias nove diferentes províncias espanholas e cerca de 2000 km. Se estiverem interessados em saber pormenores de logística, custos e mais informações que interessariam a um futuro vespista viajante, dêem um olhada, que vale bem a pena (está em castelhano).

Javier, o autor do relato, conhecido no meio e no Forum Vespania como "Pontedera" é admirador confesso do Argentino Gustavo Cieslar, um aventureiro que se propõem atravessar o mundo na sua Yamaha YBR 125, fabricada no Brasil e conhecida como "Garota". Ele já passou por Portugal, e embora não haja noticias actualizadas já há algum tempo no seu completo site, continua a ser uma referencia entre os aventureiros trota-mundos em baixas cilindradas.

Mais exemplos como estes são facilmente encontrados nesse colosso que é o site Horizons Unlimited. Aqui pode-se encontrar todo o tipo de informação para o motociclista que está a planear uma viagem de longo curso. Há um fórum, uma série de blogs com aventuras de outros viajantes, e muito mais. Enfim, todo um manancial de informação. Naturalmente que a maioria são relatos de pessoas bem abonadas de dinheiro que deram a volta ao mundo numa BMW 1200 GS, com as inevitáveis malinhas de alumínio, punhos aquecidos e GPS. Mas não faltam relatos de quem vendeu a casa para ir viajar, de pessoal que atravessou a Europa numa scooter de 50cc ou a Ásia com um pouco mais de cilindrada.

Na verdade, viajar nunca pareceu tão fácil. Seguir as pisadas do Giorgio Bettinelli é hoje mais uma questão de vontade que outra coisa. Eu pelo menos ando com uma certa comichão de me fazer à estrada...

3 comentários:

Alguém que gosta muito de ti... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Agent disse...

A vontade de largar TUDO é muita...

Simplesmente ir embora...

Haja atitude...

Buli disse...

Há dias, no deserto do Thar, ali para os lados de Jaisalmer, na Índia, não tão longe da fronteira com o Paquistão, encontrei um holandês que por dois dias tinha trocado a montada motorizada por um camelo (nessa noite pernoitámos no deserto, ao ar livre, com um céu estrelado espectacular!). Há vários meses em viagem de moto pela Índia, vindo não sei de onde, estava hesitante entre ir até ao Nepal e depois voar de volta para a Holanda, ou arranjar uma moto melhor e voltar por terra: Paquistão, Afeganistão, Irão, Turquia... O objectivo era chegar a casa pelo Natal. O dilema dele era que sendo muito mais barato andar em viagem por estes países do que estar na Holanda... a motivação financeira para voltar não era muita.