segunda-feira, 17 de março de 2008

Lost in a Roman Wilderness of Pain


Nem tanto, mas quase. O meu pé afinal está partido. Andava cheio de dores e o raio do pé não desinchava, já lá ia uma semana. Fui visto por um ortopedista num hospital particular, que identificou 5 fracturas na mesma radiografia que eu tinha tirado nas urgências do S. Francisco Xavier e segundo a qual me tinham mandado embora com uma receita de antinflamatórios. Eu voltei lá e eles disseram que não era grave... Depois de esperar umas horas, uma ortopedista que estava muito ocupada a fazer uma dúzia de outras coisas mais importantes engessou-me o pé, numa sala suja onde entrava alguém cada 25 segundos.

O relatório da policia ficou pronto a semana passada e fui logo entrega-lo à seguradora. O gráfico parece bastante esclarecedor, (ver mais abaixo) mas a experiência diz-me que os tipos da minha seguradora às vezes nem com desenhos vão lá, por isso ainda não estou totalmente descansado.


E pronto, agora só me resta esperar. Esperar até 7 de Abril para retirar o gesso, esperar que quando isso acontecer o pé esteja mesmo a 100%, esperar que me marquem a peritagem e que me arranjem a mota como deve ser e não com uns remendos, esperar que me paguem todas as outras despesas, médicas e de transporte, esperar que ainda tenha emprego se e quando lá conseguir voltar a meados de Abril, esperar que alguém me pague este período de inactividade já que a segurança social não o faz (sou trabalhador independente), esperar que nada desagradável aconteça entretanto (há dois dias arranjei maneira de cair de umas escadas...) Entretanto, vou tentar não pensar que estou aqui preso em casa, vou tentar não pensar que estou falido, que não tenho seguro de saúde... E vou tentar não pensar nos eventos a que faltei ou vou faltar, alguns deles já tinham exigido despesas e planeamento prévio: a Motoexpo, a mini-maratona, os 100 km de Portalegre?

Esperar é mesmo coisa sobre a qual a minha mãe diria que eu não tenho muito jeito.

4 comentários:

Anónimo disse...

Os factos são realmente tristes... mas o teu texto é muito honesto! Felizmente que pareces estar bem a par de tudo e preparado para o que mais vier. As melhoras e boa sorte para tudo!

Anónimo disse...

Realmente não está facil...mas temos de procurar o positivo da coisa. Foi só o pé que ficou partido, e as coisas estão encaminhadas para que o pé fique bom, a seguradora pague o que tem a pagar, e no emprego... bom, fico a torcer a acredito que vais conseguir manté-lo porque és um bom profissional.
Realmente a paciência não é o teu forte, mas eu sei que vais conseguir dar a volta.
Força maninho!

scgt disse...

Hey,Bessa

I am really sorry to hear about your accident. I wish you a speedy recovery.

How do you plan to pay for everything if there's no insurance? According to the diagram, the accident was not your fault, right? Maybe you should hire a lawyer (there I speak like a litigious American) and get compensated.

Perhaps you can apply for help from Scooter-Relief.org

Let me know if there's anything I could do to help. And thank you for passing around the safety video from Think! I have posted a few more safety videos in the same article so go check them out.

Good luck! God bless.--Lorenzo

Bessa disse...

Thanks Lorenzo, I sent you an e-mail.