quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Scoopy-i?

Lembram-se da minha Honda SH 125, também conhecida como Scoopy? Essa recordista de vendas na Europa (Portugal não é Europa, já se sabe) deixou saudades. A minha namorada hoje mencionou a hipótese de comprar uma. Fiquei admirado e a conversa trouxe algumas inevitáveis recordações. Mais sobre esse assunto quando houver novidades concretas. De qualquer forma, parece que "latas velhas" tipo Vespa ou LML é que não são com ela. Enfim...

Uma pesquisa na web para me por a par dos preços e características das actuais Scoopy's vendidas em Portugal trouxe também algumas descobertas. Ao longo dos anos e nos mais variados mercados onde a Honda vende scooters, o nome "Scoopy" tem sido associado a modelos que não correspondem exactamente aquela imagem a que estamos habituados por cá. Um deles parece-me particularmente curioso.

Assim, como sou um tipo com demasiado tempo livre nas mãos, deixo-vos com fotos da Honda Scoopy-i, da Tailândia (penso). Um pequeno passo para um blogger, um grande passo para o scooterismo:






Imagens: Honda

4 comentários:

Gouveia disse...

Epah..faz lembrar a Sym Mio!
Abraço!

Gouveia disse...

...ou devo dizer Sym Scoopy?! ;)

Vasco Eiriz disse...

Frequentemente, uma das dúvidas que me apoquenta é: porque carga de água um homem continua a andar de Vespa - scooter cara e tecnologicamente menos evoluída - em detrimento das asiáticas?!

Admira-me, por isso, que o meu amigo tenha feito um percurso contrário ao feito pelo mercado nas últimas décadas.

Gostava de voltar a ler reflexões suas sobre isto.

:: RazoR :: disse...

@ Vasco Eiriz :

Adquiri recentemente uma SYM GTS, mas tenho guardadinha uma Vespa FL2 50cc que adquiri faz agora 1 ano e neste tempo que andei de Vespa só tenho a dizer uma frase que acho que responde à tua questão.

Não tento explicar às pessoas porque é que ando de Vespa
Para os que compreendem, nenhuma explicação é necessária!
Para os que não compreendem, nenhuma explicação é possível...

Comprei a SYM porque surgiu um bom negócio, mas a busca por uma Vespa 125 continua, para juntar à minha 50.

Abraço